domingo, 20 de julho de 2008

Em tributo a "V de Vingança"

"Oferece a outra face, mas não esquece o que lhe fazem
Nos bares, na lama, nos lares, na cama"
Vingança. O prato que se come frio. O pecado que exige a virtude da paciência. Dizem que vingar-se não adianta, não é bom, que não e não e não. Mas das duas, uma: ou planeja-se uma vingança (e não há nada melhor do que maquinar situações que se aproximem daquilo que se sentiu na pele); ou então o destino - palavra estranha em seu significado abstrato e incerto - encarrega-se de tudo. O que prefiro? Que ela seja feita, por qualquer dos meios, mas que seja feita. Como justiça, por que não? Afinal, a lei do "olho por olho, dente por dente" é antiga, mas é válida. E se a violência pode ser usada para o bem - como em "V de Vingança" -, vingar-se pode ser algo frio demais, desgastante demais, mas e tudo que já se sofreu graças a atitudes alheias? Não conta? Abstrai-se? O que fazer com toda a raiva contida em detrimento de sermos pessoas benevolentes e caridosas? Joga-se fora? Não. Há que se canalizar todo o remorso para algo que valha a pena. Talvez não "valer a pena" no sentido de "ah tá, se eu fizer isso com você como você fez comigo, será anulada toda a dor e sofrimento pelo qual você me fez passar", mas no sentido de retribuir a ação que se sofreu. Não é tudo assim mesmo? "A toda ação corresponde uma reação, de igual força, direção, e sentido oposto". Então é natural. É necessária a vingança, para que haja o equilíbrio - ainda que isso revele que não somos tão bons e que o mundo não é tão belo assim. Afinal, se te fazem cócegas, você não ri? Se te deixam triste, você não chora? Se provocam a sua ira, você não vai se vingar?

6 comentários:

Darlan disse...

Eu gostei sim, viu?
Tá que eu fiquei com medo de você, mas admiro por dar a cara a tapa assim. Vingança. Quem nunca cometeu uma né? rs Tem uma música que adoro, que começa assim:

"Ah, eu gostei tanto, tanto
quando me contaram que lhe encontraram
bebendo e chorando na mesa de um bar..."

hahah... é sobre vingança, tão bonitinha e má!

Mas enfim, não é politicamente correto, mas muitas vezes a vingança é a única diversão! HAHA!

Pequena Poetiza disse...

como o darlan digo
fiquei com medo de vc ahahah

mas resta-se saber
o preço q vc está disposto a pagar pela vingança
enfim
desde a mais inocente a mais cruel
todos já cometemos algum tipo delas


mas eu ainda prefiro recuar
mas naum há garantias para um eu irado.

ótima semana

bjos

Diana M. disse...

Não tive, medo
Só orgulho!
Quem assume o seu pedaco favorito merece aplausos.

Escriba Eventual disse...

Eu não sou adepta das vinganças, porque acredito que quem provoca coisas ruins as recebe de volta de alguma maneira...

E, quando eu estou com raiva...rezo para passar =)

A vida se encarrega de mostrar o que a gente ou os outros fazem de errado...não perca tempo com vinganças.

Porque? disse...

Não concordo, mas gostei.

Giovanna Cóppola disse...

Vi seu link no blog da Diana e confesso que me atraí pelo nome, "não preciso de modelos". Resolvi passar para dar uma conferida e me surpreendi com o texto. Mesmo sem saber muito o que dizer, resolvi comentar, e me surpreendi novamente com um comentário do Darlan por aqui. É impressionante como ótimos blogs estão sempre interligados! Gostei muito daqui e voltarei mais vezes. Um beijo.